Notícias

Comunidade Segura realiza curso para promover o cuidado e o acolhimento de moradores afetados por desigualdades e violências 

Moradores e moradoras de um bairro, quando compartilham um contexto social, histórias de luta, valores e princípios, reconhecem-se enquanto comunidade, e viver em comunidade é praticar o cuidado de si e ter o olhar atento para promover o cuidado com o outro. Pensando nesta rede de acolhimento, a metodologia Comunidade de Cuidado tem o objetivo de promover a cidadania e a proteção de crianças e adolescentes que vivem em territórios afetados por violências que impactam a saúde mental, além de compartilhar com os moradores a importância da união para defender e reivindicar direitos. 

Com o propósito de cada vez mais difundir a construção coletiva do acolhimento nos territórios de Savoy (São Paulo), Jardim Centenário e Parque São Miguel (Guarulhos), o eixo de Suporte Social do Comunidade Segura, projeto realizado pela Luta pela Paz em parceria com a Petrobras, realizou entre os dias 10 a 14 de junho o curso Comunidade de Cuidado – formação para uma rede composta por diferentes profissionais e atores locais para que atuem na promoção de cuidado e acolhimento nos territórios. 

“Durante a realização do curso e a partir dos diálogos compartilhados, os participantes relataram que a partir da formação, além da corresponsabilidade em relação ao outro, puderam praticar o autoconhecimento e o autocuidado”,  comenta Daniela Santos, Coordenadora do Pilar Suporte Social do projeto Comunidade Segura.

Participantes durante os encontros do curso Comunidade de Cuidado

Como a Comunidade de Cuidado acontece na prática? 

Na formação, a prática de cuidado é entendida tanto como conteúdo quanto como método, com a realização de atividades de caráter teórico e prático que visam incentivar o fortalecimento de vínculos entre os participantes. No decorrer de cinco encontros, os integrantes terão formações com temas centrais, como: reconhecimento da comunidade de cuidado e seu território de atuação; identificação das necessidades de cuidado; impacto dos fatores de risco em crianças e adolescentes; promoção de estratégias de cuidado; acolhimento; escuta na promoção do cuidado individual e coletivo e a importância do trabalho em rede.

“A realização do curso foi importante para o território para promover a prevenção de agravos, a promoção da saúde e a identificação de casos que necessitem de caminhos de cuidados mais específicos. A rede e/ou a Comunidade de Cuidado não é composta somente por dispositivos de saúde, mas sim pelos atores presentes na comunidade, sejam eles moradores, agentes articuladores comunitários, profissionais dos equipamentos da saúde, assistentes sociais, educadores, conselheiros de saúde e tutelares e outros. O curso propõe a integração dessas pessoas em um coletivo que se vê e se entende pertencente a essa rede mútua de cuidado”, afirma Graziela Brianeze, Assistente Social do eixo Suporte Social do Comunidade Segura. 

Você também vai se interessar por…

III SEMINÁRIO MULHERES NO ESPORTE

Mesa de abertura Ana Caroline BeloDiretora de Estratégias Territoriais - Luta Pela Paz Cria da Maré, está na Luta pela...