Teoria da Mudança da Luta pela Paz

Você sabia que todos os anos, mais de 1.000 crianças e jovens são impactados pelos nossos programas no Rio de Janeiro?

Você sabia que todos os anos, mais de 1.000 crianças e jovens são impactados pelos nossos programas no Rio de Janeiro?

Isso mesmo, mais de mil por ano!

E uma das nossas preocupações é como podemos compreender a transformação causada por estas atividades. Pensando nisso desenvolvemos a Teoria da Mudança.

Mas é importante falarmos um pouco da história da Luta pela Paz.

A Luta pela Paz começou no ano 2000. Nosso fundador, Luke Dowdney, após fazer sua pesquisa de mestrado em antropologia sobre o ingresso de crianças no crime organizado, resolveu “arregaçar as mangas”. Ou melhor, ce rrar os punhos.

A fim de causar um impacto positivo na vida de crianças e jovens que viviam em comunidades afetadas pelo crime e pela violência, Luke, que havia sido boxeador, iniciou aulas de boxe com 10 crianças e jovens que viviam no Complexo da Maré, no Rio de Janeiro.

Enquanto praticavam boxe, eles conversavam sobre a comunidade, sobre a família, sobre o futuro... Foi através da prática do boxe que a Luta pela Paz começou.

Assim, desde uma iniciativa individual, de uma pessoa bem intencionada, surgiu uma organização que, trabalhando com esporte, educação, empregabilidade, suporte social e liderança juvenil, já impactou mais de 250 mil crianças e jovens, em mais de 25 países.

E então, voltamos para o assunto deste texto: Teoria da Mudança.

Você deve se lembrar que mencionamos acima como o boxe foi uma “porta de entrada” para conversas com as crianças e jovens.

Hoje, os nossos programas utilizam a metodologia dos Cinco Pilares, uma metodologia integrada e holística, combinada com Desenvolvimento Pessoal, permitindo que nossos alunos repensem seus comportamentos e escolhas. E é esse processo que chamamos de Teoria da Mudança.

Conheci a Luta pela Paz quando tinha 15 pra 16 anos e ainda estava com aquela mentalidade antiga de responder violência com violência. A LPP é o ponto mais positivo que a gente tem aqui na Maré. Ela me apoiou muito na questão familiar, que era muito difícil, na questão profissional e na educativa. Três pontos importantíssimos que sem o pessoal daqui eu não teria tido apoio nenhum.” Raissa Lima, aluna e monitora de Judô.


 

Os nossos programas trabalham com os jovens para que eles mudem as percepções sobre si mesmos, sobre o relacionamento com os outros que os cercam e sobre como pensam o futuro.

Transformar a maneira como se percebem é importante para que as crianças e jovens que vivem em comunidades afetadas pela violência sintam-se mais confiantes e motivados a praticar esportes, estudar e mais tarde ingressar na vida profissional.

Repensar o relacionamento com os outros influencia diretamente no ambiente familiar, escolar, comunitário e da sociedade como um todo.

E mudar as expectativas sobre o futuro permite que as crianças e jovens transformem seus desejos e motivações.

Legenda: Dados relacionados a uma amostragem de participantes do programa Atletas da Paz, de 2018.


 

Você também quer ser parte da mudança? Então não perca tempo e se torne um(a) Doador(a) Campeã(o) agora!